Abgailfreitas's Blog

julho 2, 2010

INDISCIPLINA: UMA AMEAÇA À EDUCAÇÃO/ ANDREIA

Filed under: Uncategorized — abgailfreitas @ 7:56 pm
Tags: , ,

INDISCIPLINA: UMA AMEAÇA À EDUCAÇÃO

Andréia da Silva Sousa

Vivemos em um mundo de grande preocupação, a sociedade casa dia está sendo ameaçados por nossas futuras gerações, que por enquanto são aprendiz, e daqui alguns anos herdarão tudo que temos e que lutamos para conquistar. A grande preocupação que estamos tendo, é que estamos tirando o sono e a indisciplina que está acompanhando nossas crianças.
O problema da indisciplina é um caso que vem preocupando a sociedade e principalmente a escola em geral. Ao ligarmos a TV podemos notar, o quanto esse problema esta trazendo muita dor de cabeça, e nós educadores por não sabermos lidar com esse comportamento que nossos alunos estão tendo, acabamos sendo prejudicados e maltratados pelos próprios alunos.
Ao ligarmos a TV para assistir o jornal ou outro programa que nos chama atenção, vemos vários casos em que o professor não consegue disciplinar seus alunos, por não terem autoridade sobre eles e acabam sendo a própria vítima da indisciplina que não soube controlar ou acabar.
É impressionante a crise de autoridade que todos nós estamos passando, a falta de autoridade que educador tem em relação ao educando é de muita preocupação, pois como podemos formar verdadeiros cidadãos, sem autoridade, pois podem fazer o que querem, sem que ninguém o controle.

“Devido à desmoralização da autoridade, causada elo péssimo exemplo de muitas autoridades, há uma onde de “tudo pode”, sem que ninguém possa interferir”.
(Adolfo S. Suárez- Sou professor. E agora? – página 148, 2005).

“Tudo pode”, como posso trabalho com meu aluno, se fora da escola, a sociedade vem trazendo este pensamento para nossas crianças, que fazem questão de observar e imitar nossas ações, que esta cada vez deixando a nossa sociedade em caos, concordo plenamente, com o autor Adolfo S. Suárez, em relação à sua opinião sobre a sociedade.
Quando estamos em sala, somos muito chatos, caretas, atrasados, para nossos alunos, perdemos uma boa parte de nossa autoridade com nossas crianças, em grande parte da indisciplina às vezes é cometida por nós mesmos, pois passamos horas falando para nossos alunos, “menino, não faz isso! Menino, não faz aquilo!”, e as vezes falamos para não fazer e nós mesmos fazemos.

Os adultos lutam para “ser alguém”, o que é bom, más também provocam uma corrida louca pelo dinheiro, poder e fama, provocando, muitas vezes, o esquecimento de padrões de comportamentos. Além do mau exemplo dos pais, temos o péssimo exemplo de muitas autoridades e pessoas públicas, o que provoca uma onda de indisciplina.
(Adolfo S. Suárez- Sou professor. E agora? – página 148, 2005).

Como podemos formar jovens disciplinados, se a própria sociedade se carrega de dar um mau exemplo, sendo nós mesmos às vezes causadores desse mau, que lutamos para ter fim, fim esse que nós devemos procurar, para a nossa futura geração.

Como educadora da escola de Tempo Integral Paulo Freire, pode notar, o quanto a sociedade deixou muita liberdade, para o aluno, pois os alunos têm todo direito de fazerem o querem, tem liberdade e direitos, direitos esses que valem, e que eles têm conhecimento. Mas, e o direito dos professores? Onde ficou?
Às vezes ficamos tristes em saber que nós educadores, temos poucos direitos, e às vezes esses direitos só fica no papel; em quanto os educando têm vários direitos. Como sentem que são muito protegidos, acabam brincando com a cara do professor que por sua vez não tem controle e nem autoridade com seus alunos, e acabam sendo desrespeitado.
Durante torneio de futebol no Colégio Estadual Vicente Barros na periferia de Curitiba, o aluno Leandro de 16 anos, insistia em assistir a um dos jogos dentro da quadra. O professor Célio José Gonçalves foi conversar com o rapaz, que o empurrou e perguntou se ele tinha peito de aço para suportar um tiro, “Mesmo ofendido, não podia esquecer meu papel de educador”, o professor mostrou a Leandro que ele estava interrompendo a partida ele acabou se acalmando.
Os pais foram chamados, Célio registrou um boletim de ocorrência por ter sido ameaçado e o estudante teve que comparecer a delegacia, de onde foi encaminhado para a promotoria da infância. Na semana seguinte fez atividades em separado com a coordenação para discutir temas com respeito a violência. (Revista escola março 2005 pagina 26).
Nesse caso podemos notar que deu certo a ação do professor em relação a atitude de seu aluno, e que os direitos do professor, dessa vez saiu do papel, finalmente. Mais acaso em que o professor não tem direito algum, como por exemplo: um professor ou um funcionário da escola que se envolveu numa briga entre alunos pode ser processado.
É por isso que o educando acabam fazendo o que querem, sem que tenha alguém que possa impedir, segundo a entrevista demonstrada na revista escola, ao representante do (ECA) o estatuto da criança e do adolescente. “Responder a agressividade do adolescente com agressividade como forma de defender a si mesmo ou aos demais alunos não é a melhor saída”.
Então parece que a melhor saída é deixar que os próprios alunos se machuquem ou outra coisa pior. É muito difícil para um professor vê os seus alunos sendo espancado e não poder fazer nada, só ficar olhando, ligar ou esperar que a polícia ou o conselho tutelar resolva aparecer.
O interessante é que cada dia o papel do professor em controlar uma sala está cada vez mais difícil, pois temos só deveres a cumprir, direitos que é bom fica com os alunos, e esses sabem usar muito bem. O que mais nos preocupa é que esses direitos também estão fora de sala.

Ênfase nos direitos com esquecimentos dos deveres. Em nome de uma falsa democracia, os jovens são muitas vezes ensinados a reclamar prontamente seus direitos, sem a mínima sensibilidade para com as responsabilidades e deveres.
(Adolfo S. Suárez- Sou professor. E agora? – página 148, 2005).

O autor deixa bem claro que direitos e deveres bem destacados. Mais qual são os deveres? Estão sendo cumpridos por nossos alunos? Às vezes parece que tapam os olhos para os deveres, é o que vimos no jornal e reportagem que assistimos, professor está sendo julgado por maltratar um aluno, mais será o que esse aluno fez?
Os professores são julgados, presos, por maltratarem seus alunos, e os alunos em muitos casos não pagam nada quando maltratam o professor. Se os alunos têm direito de se defender, porque que o professor não? E às vezes nem chega a ser ouvido, e logo julgado.
A nossa sociedade está criando muitos direitos para os jovens e adolescentes, e estão esquecendo-se de seus deveres que tem, e deveriam ser obrigados a fazerem, se continuar assim, como será a sociedade daqui a alguns anos? Como nossos jovens e adolescentes vão se comportar? Serão disciplinados ou indisciplinados?
Nós educadores nos preocupamos muito com nossas crianças, e só queremos o bem de cada um, por isso que estamos cobrando aos nossos educandos, para que não se tornem pessoas indisciplinadas, pessoas sem amor, sem carinho, queremos construir pessoas que possam mudar o rumo de nossa sociedade.
Nossos alunos de hoje serão nossa sociedade de amanhã, se estiverem uma educação boa, onde possam aprender o que é respeito, a nossa sociedade estará bem entregue nas mãos de pessoas certas. Portanto, que todos nós possamos estar atentos a educação e comportamento de nossas crianças.

CAUSAS DA INDISCIPLINA NA ESCOLA
A indisciplina na sociedade é gerada pela liberdade que tem nossas crianças, a escola também leva o aluno a ser indisciplinado, mais não é só com a liberdade, mas também o ambiente em que estão, se a escola traz conforto é claro eu vou chamar sua atenção, mais se não estiver conforto, os alunos irão ficar muito descontrolados.
Se a escola proporciona um ótimo ambiente, nossas crianças vão ter mais vontade de estudar, mais infelizmente, só encontramos ambientes inadequados para o estudo de nossas crianças. Isso além de criar alunos indisciplinados, atrapalha na aprendizagem deles.
Segundo o autor Adolfo S. Suárez, em seu livro Sou Professor. E agora? Nos fala que existem ainda, muitas classes numerosas, e que o ideal seria trabalhar com 20 a 25 alunos, em ambientes amplos e confortáveis. Mas a realidade mostra, muitas vezes, classes com 40 a 45 alunos.
Salas pequenas, apertadas, com iluminação deficiente, carteiras velhas e rangentes, quadros-negros cheios de reflexo, é difícil manter a disciplina. A falta de material didático obriga o professor a usar apenas teóricas, pouco ilustradas. Só palavras, palavras.
Concordo em tudo que o autor aborda em seu livro, parece mentira mais não é ainda existem muita sala numerosas, sem nem um conforto, e só com um professor, que tem que dá conta do recado, educar todos, além de estar tentando controlar a turma, que é muito difícil, pois a grande maioria são alunos que não tem disciplina.
O trabalho realizado no ambiente muito apertado dificulta muito o trabalho do educando, que teta fazer um bom trabalho, mais por ter muitos alunos, não conseguem trabalhar em sua própria sala, além de ficar doente, com um grande problema de garganta. Às vezes queremos ver, mas o ambiente escolar ajuda muito, na transformação de nossas crianças, se o aluno estuda em uma escola desestruturada, ele também vai ficar desestruturado, pois a criança forma o seu comportamento com exemplo, e coisas que podem ver.
A escola é para nossos alunos, sua segunda casa, seria bom morar em casa que não te oferece conforto? Muitas crianças vivem em lugares desconfortáveis, chegam à escola as coisas são do mesmo jeito. Por isso que muitos escolhem ficar em casa, a grande maioria vai por seus pais insistirem com eles.
A Escola de Tempo Integral Paulo Freire, proporciona, o que as nossas crianças, o que muitas escolas não fazem os alunos, são 30 e não 40 têm duas professoras, salas forradas, carteiras confortáveis, salas grandes, mesmo assim convivemos com alunos indisciplinados, as salas realmente são grandes, mais são só elas que são grandes.
Como uma criança pode conseguir passar o dia todo em uma sala? Muitas vezes sentem sugadas, por não terem outro lugar e onde podem se sentir melhor, eles querem muitas vezes ficarem libertos, e aproveitam a hora do almoço, eu fica apenas um professor olhando eles enquanto os outros estão almoçando, e sai da sala, correm nos corredores.
A grande causa da indisciplina dos alunos na escola ETI é a falta de espaço, que só tem na sala, acredito que grande parte dos alunos se sentem presos alguns compram muito o recreio que não tem, pois saem da sala para o almoço, do almoço para sala, e o intervalo fica onde?
Às vezes passamos horas e horas falando com eles a respeito de seus comportamentos, mais o que adianta, fala e fala se eles querem sair, brincar, conversar com outros colegas. Conforto tem em relação às outras escolas que tem, mais liberdade não tem igual às outras escolas.
Outra coisa que faz com que os alunos não têm disciplina é a falta de material que a escola não tem isso atrapalha muito na educação de nossas, pois relembrando a fala do autor Adolfo S. Suarez o professor deixa o estudo um pouco cansativo.
A escola precisa ser adequada para receber seus alunos, deve ter materiais adequados, ter conforto, o aluno deve fazer da escola sua casa, devem sentir vontade de ir pra escola, sentir vontade de aprender, de sonhar e ter planos, sentimentos, uma boa escola faz isso, faz de escola uma casa.
Nós educadores somos os que mais lutamos pela educação de nossas crianças, nos preocupamos muito se estão aprendendo ou não, se estão gostando da escola, dos professores, se sentem bem no ambiente em que estão estudando, procuramos descobrir seus sentimentos, suas emoções.
Os professores são os que mais sofrem com o problema da indisciplina, mais são os que mais lutam para amenizar esse problema, que esta cada dia mais ficando difícil de ser controlado, pois como foi falada a sociedade e a escola estão deixando a desejar em relação ao comportamento de nossas crianças.
A maior dificuldade enfrentada pelos professores na sala é manter a disciplina em sala. Alguns educadores lutam até conseguir ter e manter a disciplina, outros professores lutam bastante, mas não conseguem, pois não ter autoridade sobre seus alunos não conseguem controlá-los, e acabam ficando sem respeito perante seus alunos, e não conseguem trabalhar a aprendizagem do educando.

“Os professores precisam incorporar hábitos dos educadores fascinantes para atuar com eficiência no pequeno e infinito mundo da personalidade dos seus alunos. Cada hábito praticado pelos educadores poderá contribuir para desenvolver características fundamentais da personalidade dos jovens”.
(Pais brilhantes, professores fascinantes, 2001, página 16).

Segundo o autor podemos ver a diferença entre professor e educador, o professor que só quer brincar de professor, não importar com o comportamento de seus alunos, por isso acabam tornando alunos indisciplinados, já o verdadeiro educador não fica parado, vai e busca de soluções para ajudar suas crianças em seus comportamentos.
O educador é de grande importância na vida de nossas crianças, pois ajuda muito na personalidade de nossos jovens, que trabalha mais com jovens, adolescentes, crianças, somos nós educadores, e se lutarmos pela educação, caráter de nossas crianças, que irá lutar, se pararmos para analisarmos, boa parte da vida de nossos alunos são com os professores, por isso cabe ao professor ajudar em sua educação e caráter.

“Os professores não são valorizados socialmente como merecem, não estão nos noticiários da TV, vivem no anonimato da sala de aula, mas são os únicos que tem o poder de causar uma revolução social. Com uma das mãos eles escrevem na lousa, com a outra, movem o mundo, pois trabalham com a maior riqueza da sociedade: a juventude. Cada aluno é um diamante que, bem lapidado, brilhará para sempre.

Um professor nunca poderá fazer um trabalho mau feito, por mais que sociedade atrapalhe um pouco no comportamento de nossas crianças, nós devemos procurar meios para ajudá-los, pois nós e os pais somos as únicas pessoas podemos lidar com a juventude, mudar seus pensamentos, opiniões, mudar sua personalidade.
Como já foi falado no início os professores são quem mais sofre com a indisciplina, já falamos também sobre a autoridade que alguns tem e outros não tem, mais não é só autoridade que faz com que os alunos sejam indisciplinados, o trabalho que o professor realiza na sala também faz gera indisciplina, pois se o conteúdo que o professor leva para sala não prende sua atenção, alguns alunos irão começar a conversa e atrapalha o tempo de estudo.

“A autoridade do professor perante a classe só é conquistada quando ele domina o conteúdo e sabe lançar mão de estratégias eficientes para ensiná-los”.
(Revista escola 2005 página 63)

Se o professor sabe o que passa para seus alunos, ele tem toda uma sala em controle, se for criativo, tem pulso firme, e bem organizado, sabe ser mesmo um professor, ele mantem sua sala com disciplina, pois tem criatividade para deixar seus alunos ocupado fazendo algo, batendo a b=cabeça para resolver alguma, e aprendem com seus esforços.

“O que se espera da escola é conhecimento.
É isso que faz o aluno respeitar o ambiente à sua volta. Se a aula está um tédio, ele vão procurar algo mais interessante para fazer”.
(Revista escola 2005 pa´gina 63)

Concordo com citação na revista escola, pois a escola é um ambiente de educação, e o aluno tem que aprender algo, e deve saber que a escola não é qualquer lugar que você pode ir e fazer o que quer, trata as pessoas como quiser, ter o comportamento difícil de ser trabalhado.
O aluno só vai aprender ter um bom comportamento a partir do momento em que aprender a ter interesse pelo estudo. Ele só vai se interessar a partir do momento em que aquele estudo não for mais um tédio, e se interessante de participar e não cansativos chatas, que se torna, tando o estudo como o professor.
A atuação do professor inadequada em sala causa a indisciplina, quando o estudo se torna monótono, até os alunos que possui um bom comportamento, começa a olhar para o lado para outro, quando não resolve conversa, como os outros fazem, vão dormi na cadeira, pois estão cansado de ficarem ouvindo coisas e mais coisas.
O educador para entrar em uma sala, tem que saber trabalhar com seus alunos, às vezes colocam professores em sala que não tem nem uma formação, não gosta de ser professor estão lá só para não ficarem desempregados, quando vão administrar o tempo de estudos ficam perdidas, não tem seguro no que faz, e os alunos vem isso, e começa manda na sala e em seus colegas.

Tornando suas aulas monótonas e previsíveis, assim como cansativas e chatas, também, quem agüenta só aula expositiva?! O professor não está seguro do que ensina, tornando-se impaciente na hora de uma pergunta difícil. Logo, se o professor não domina a matéria, os alunos não lhe dão crédito, e a bagunça está instalada.
(Adolfo S. Suárez. Sou professor. E agora? Página149)

Por isso que muitas pessoas fala, vida de professor não é fácil, fácil não é mesmo não, e muito difícil para os que brincam com essa profissão de professor. O educador ele tem a obrigação de saber de todo, porque seus alunos estão o tempo nos testando, principalmente, os que tem um péssimo comportamento.
As vezes nos irritamos muito com nossos alunos, uma simples pergunta que nos fazem, quando estamos muitos estressados, ficamos muito irritados, isso nossas crianças percebem, e é mais um ponto que leva lá para o seu comportamento, pontos esses que ficam sendo acumulados por eles, até que um dia perdemos a autoridade que tínhamos com eles, por causa de nossas ações, exemplos.

“Ficar irritado, gritar e castigar os que não se comportam como você quer – atitudes autoridades e retrógradas – não adianta nada. Quando se tenta impor disciplina, a submissão e a revolta aparecem. Hoje, isso não se sustenta mais. O mundo é outro”, acredita Telma”.
(Revista escola outubro 2009 página67)

O que nos vemos em algumas escolas, são professores irritados, e acabam gritando com seus alunos, o papel do professor já não é fácil, porque temos várias coisas que fazemos, pesquisamos, tudo para nosso aluno, chega na sala, não consegue dar nem um conteúdo, por causa das ações de seus alunos, isso nos deixa irritados e acabamos gritando como nossos alunos.

Apenas alguns professores se esforçam para manter seus alunos com disciplina na escola. Apesar do esforço que todos fazem, poucos são os que conseguem, sabemos que a sociedade, escola, professores e pais, são o grandes responsáveis pelo comportamento de nossas crianças.

“Para mudar a perspectiva em relação à indisciplina, é imprescindível que a escola se responsabilize contidianamente por garantir um ambiente de cooperação, em que o valor humano,o respeito, a dignidade e a integridade marquem as relações”.
(Revista escola Outubro 2009 página 70)

Como já foi abordado a escola para ter disciplina nossas crianças precisam de um bom ambiente, em que se sintam, bem, que possam ter carinho e não brigas, que possam aprender a expor seus sentimentos, que também possam aprender a ter respeito, pelos outros colegas, professores e autoridades. A escola tem que trabalhar o aluno para que possa aprender:
1- A demonstrar que a honestidade será sempre considerada importante.
2- Manter se calmo e controlar suas reações.
3- Demonstrar sentimentos.
4- Ter um bom comportamento.
5- Tornar o educando responsável.
O que fazer para manter a disciplina em sal?
1- Planeje seu tempo de estudo. Não confie muito na improvisação.
2- Mantenha a classe ocupada, pois nada provoca tanta indisciplina como o não ter o que fazer.
3- Estabeleça claramente as regras da classe.
4- Antes de exigir educação, seja educado, fino simpático.
5- Evite ameaças que não poderá cumprir, pois isto desmoralizará você.
6- Veja seus alunos como criaturas humanas que precisam da ajuda e orientação do professor.
Podemos notar que tudo depende de um bom ambiente, para que tenham um bom comportamento e uma boa educação.

Sabemos que a indisciplina é um desafio que temos que enfrentar e que não devemos, como educadores fingir que estamos educando como merecem. Na maioria das vezes, a indisciplina dos alunos vem de casa, isso porque a maneira como são tratados os leva a serem indisciplinados.
Indisciplina envolve vários fatores que acarretam e ajudam uma criança a ser agressiva, mal comportada, mal educada e outros. Uma criança indisciplinada precisa ser trabalhada o que ela não tem, o que sua família não consegue transmitir, ou seja carinho, amor, respeito, atenção, entre outros.
Sabe-se que o ambiente tem que proporcionar um lugar agradável, onde os alunos possa transmitir valores, disciplina. Que a principal meta da educação é fazer dos alunos autores de sua própria aprendizagem. Tanto a família quanto a escola contribui para o melhoramento do comportamento do educando.
Para o educador conquistar a criança precisa ganhar a confiança do aluno, para só assim trabalhar a indisciplina. Contudo, a sociedade, a escola, a família e a comunidade trabalhando junto com o mesmo objetivo, podemos alcançar o que desejamos muito, alunos que tenham disciplina com valores étnicos, com futuros brilhantes.

BIBLIOGRAFIA

Semo Suárez, Adolfo. Sou professor. E agora? 2 ed. Engenheiro Coelho – SP: Paradigma, 2005.

Cury, Augusto – Filho brilhantes, alunos fascinantes/Augusto Cury – São Paulo: Editora Planeta do Brasil, 2007.

Cury, Augusto Jorge, 1958 – Pais brilhantes, professores fascinantes Augusto JOrges Cury: – Rio de Janeiro: Sextante, 2003.

Revista escola março 2005.

Revista escola outubro 2009.

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: